Logo Sustentare Seguros

Previdência Privada: um investimento que é bom conhecer


De olho na aposentadoria, a previdência complementar é uma das opções para quem não quer depender apenas do seguro social

Qual o melhor investimento hoje? Preciso fazer uma Previdência Privada para a minha aposentadoria? Qual devo escolher? Essas são algumas das perguntas que escuto quando o assunto é planejamento para a aposentadoria, ainda mais considerando o momento atual que, além da crise que nos acompanha, tem a reforma da previdência que promete mudanças substancias nas regras de concessão dos benefícios.

A Previdência Privada é um sistema alternativo à Previdência Oficial, que promove a capitalização do valor investido, gerando um patrimônio que poderá ser consumido de uma só vez, ou em recebimentos mensais, garantindo ao beneficiário uma renda complementar. Existem dois tipos de contrato de Previdência, um deles é o PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre, recomendado para pessoas com rendas mais altas, pois o valor pago pode ser deduzido do Imposto de Renda até o limite de 12% da renda anual.

É importante observar que ao final do plano, no momento do resgate, a tributação incidirá sobre o valor total que estiver no fundo. O outro tipo é o VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre. A diferença é que esse tipo não permite dedução no Imposto de Renda, mas em contrapartida o imposto pago é só sobre o rendimento.

Agora que conhecemos um pouco sobre o histórico, conceito e tipos de previdência privada, confira algumas orientações importantes para contratar um plano de Previdência:

Defina seus projetos de vida: Trocar de carro, comprar um imóvel, fazer uma viagem, garantir uma aposentadoria confortável financeiramente. Essa etapa é fundamental para adequar o investimento aos seus projetos de vida.

Quanto vai investir: Faça um bom diagnóstico financeiro e defina o valor que irá investir e por quanto tempo. Quanto mais cedo começar, mais tempo o dinheiro ficará investido e menor será o desembolso mensal.Atenção com a classificação tributária: Independente do Plano, se PGBL ou VGBL, existem dois tipos de tributação. A Progressiva e a Regressiva. A Regressiva é indicada para quem pretende fazer o saque de uma só vez e no médio prazo. A Progressiva favorece quem vai receber o rendimento em recebimentos mensais, porque se enquadra na tributação da tabela progressiva do Imposto de Renda.

Cuidado com as Taxas: Não abra mão de saber exatamente as taxas que irão compor o seu contrato. Cada instituição tem uma regra para a cobrança, em muitos casos algumas são isentas, mas não deixe de perguntar, pois essas taxas podem chegar a 5% ao ano, e vai corroer bastante seu rendimento.

Conheça as regras para resgate antes do prazo: Isso é importante para que você tenha o entendimento dos riscos e perdas caso precise antecipar o resgate. A Previdência Privada é um investimento de longo prazo e de baixa liquidez, portanto a cautela é a palavra de ordem para evitar surpresas desagradáveis no futuro.

Assim como outras opções de investimentos, a Previdência Privada nos incentiva a ter disciplina, nos transformando em agentes investidores e fazendo com que o dinheiro trabalhe para nós. Esse resultado é possível com a realização de pequenos esforços para ajustar nosso orçamento doméstico e fazer sobrar recursos suficientes para um bom planejamento de acúmulo patrimonial que garantirá uma vida financeira mais honrosa no momento da aposentadoria.

 

Fonte: Correio 24h

 

A contratação do plano de Previdência Privada adequado ao seu estilo de vida é sinônimo de tranquilidade para o futuro. Por isso, vale a pena escolher os indicados pela Sustentare que se preocupa realmente com você e entende do assunto. Saiba mais: https://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/previdencia-privada