Blog


22 Mar/17

Se por um lado obter um automóvel é um investimento na qualidade de vida, por outro é uma despesa constante que precisa ser levada em consideração antes da compra. A indústria automotiva investe cada vez mais em tecnologia e inovações para atrair o consumidor, mas para adquirir um automóvel é preciso ter um bom planejamento financeiro para arcar com os custos além das parcelas do financiamento. Veja abaixo as despesas para se pensar antes de adquirir um automóvel.

Pagamento
Quem não possui o valor de pagamento à vista tem a facilidade do financiamento para realizar a compra do automóvel. Porém, é importante analisar com cautela as taxas de juros, os valores de cada parcela, o tempo total da dívida e não comprometer mais que 10% da sua renda. Muitas vezes o valor final do automóvel no financiamento pode custar muito mais do que o valor real do carro. Nesse caso vale também avaliar as vantagens e desvantagens de um veículo novo e seminovo.

Seguro é indispensável
Adquirir um seguro é fundamental para a segurança do automóvel, porém quanto mais atrativo e popular o automóvel mais caro será o seguro. Então, antes de adquirir o automóvel, é interesse fazer algumas simulações para ter uma ideia de quanto será o gasto por mês. Observe também todos os serviços oferecidos e dê preferência ao que realmente será útil para você, pois muita coisa que as seguradoras oferecem podem não ter o seu perfil.

Manutenção e revisões
Para garantir o melhor desempenho do veículo é fundamental manter as revisões em dia, pois elas ajudam a prevenir problemas que podem dar uma dor de cabeça no futuro e causa um buraco maior no seu bolso. Muitas montadoras oferecem programas que incentivam as revisões em dia, portanto vale a pena verificar o que a fabricante oferece no momento. Algumas oferecem vantagens exclusivas que vale a pena serem analisadas.

Combustível
O combustível é um gasto constante que não tem como fugir e é uma preocupação cada vez mais presente para o consumidor. Por isso que cada vez mais as empresas investem em tecnologias que ajudam a reduzir o consumo do combustível. Um exemplo disso é o Novo Aircross da Citröen, que nas versões automáticas oferece o botão eco do câmbio, que ajuda a reduzir em até 5% o consumo de combustível em ciclo urbano. Portanto se você economizar vale uma pesquisa sobre os modelos mais econômicos na categoria do automóvel que você deseja adquirir.

Impostos obrigatório
Todo ano é obrigatório o pagamento do IPVA, que é o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores. O valor é determinado pela Secretaria da Fazenda, que gira em torno de 4% sobre o valor do veículo, ou seja, quanto mais caro o carro maior será o IPVA.

Além disso, também entra para a lista de despesas o DPVAT, que significa Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, que na verdade é o seguro obrigatório. O DPVAT garante às vítimas de acidentes com veículos o recebimento de indenizações, ele deve ser pago à vista com a primeira parcela do IPVA.

 

Fonte: Redação – Agência IN/Foto – Reprodução pixabay.com

 

Como citado no texto acima, fazer um seguro para automóvel é indispensável. Faça simulações com a Sustentare, que possibilita a personalização de sua apólice para atender as suas reais necessidades. Entre em contato conosco: https://sustentareseguros.com.br/index.php/contato

13 Mar/17

Escolher o melhor seguro para o carro nem sempre é uma tarefa fácil. Cada seguradora possui suas particularidades e seus diferenciais. Assim, a figura do corretor acaba sendo fundamental, para que possa orientar e esclarecer dúvidas que possam surgir, seja na contratação ou na renovação da cobertura. O Diretor Vice-Presidente do Sindicato das Seguradoras do RS (SINDSEGRS), Rubens Oliboni, diz que o segundo passo é escolher uma seguradora que tenha excelência em serviços e estrutura para atendimento a sinistros. “Em caso de dúvida sobre a seguradora, é possível acessar o site da Susep – Superintendência de Seguros Privados (www.susep.gov.br) e consultar sua situação junto ao órgão fiscalizador”, alerta Oliboni.

Atualmente, apenas 35% da frota é segurada no Estado e destes, 60% possui até 5 anos de uso. O diretor afirma, no entanto, que veículos de até 10 anos são facilmente segurados, desde que não tenham restritivos judiciais.

Os preços para um mesmo veículo podem variar de acordo com cada seguradora, mas algumas questões são levadas em consideração em todas na hora de formar os preços. “São diversos os fatores que compõem o preço de um seguro de automóvel. Os principais são: marca e modelo do veículo, região onde ele mais circula, perfil do condutor principal e dos possíveis outros condutores. Dentro de cada um desses fatores as seguradoras abrem outras variáveis. Por exemplo, dentro da região onde o veículo mais circula, leva-se em conta os locais de maior ou menor incidência de roubo, no caso do perfil considera-se a idade do condutor se ele é casado(a). Cada um desses fatores têm um determinado peso no cálculo e pode variar de seguradora para seguradora”, explica o diretor.

Outra variação no preço se deve em relação ao gênero dos condutores. No caso dos automóveis, o seguro para as mulheres costuma ser mais barato. “Estatisticamente é comprovado que as mulheres são mais cuidadosas na condução e na conservação de seus veículos. Inclusive a severidade dos sinistros, quando o veículo é conduzido por uma mulher, é menor que no casos dos homens”, destaca Oliboni.

Também é preciso ficar atento ao que está sendo contratado para poder usufruir da cobertura quando necessário. “Se na contratação foi informado que não havia menores de 24 anos que poderiam dirigir o veículo e quando do sinistro, a seguradora identifica que o condutor era o filho(a) do segurado(a) com 20 anos de idade, essa informação que foi omitida quando da contratação pode levar à negativa do sinistro”, explica. Por isso é fundamental a orientação do corretor, já que o melhor seguro é o que se encaixa nas necessidades de cada um.

O impacto da criminalidade

Outra questão que vem impactando significativamente no preço dos seguros de automóveis é a criminalidade. Um mesmo veículo pode ter valores de seguro diferentes dependendo da cidade em que ele é utilizado. “O roubo e o furto de veículos é o fator que mais impacta na composição do preço. Quando a seguradora faz uma indenização ao cliente em decorrência de uma colisão com perda total, por exemplo, ela ainda pode buscar uma compensação vendendo legalmente os salvados daquele acidente. Contudo, quando o pagamento é em decorrência de roubo ou furto, o bem indenizado deixa de existir, ou seja, não permite às seguradoras nenhum tipo de compensação”, salienta o diretor. Esta questão da violência também está reduzindo a diferença de preço entre a apólice para homens e mulheres, já que elas costumam ser mais visadas por bandidos.

Quando o seguro não é acionado

Antigamente se acreditava que quando o seguro não era acionado, a pessoa não o havia utilizado. Porém, Oliboni afirma que na verdade, um bem segurado toda vez que é utilizado está fazendo uso do seguro. “Nosso papel é dar tranquilidade para que as pessoas possam usar seus bens sabendo que se algo negativo acontecer estaremos disponíveis para oferecer todo o suporte necessário”, assegura.

Quem não aciona o seguro no prazo de cobertura da apólice tem como benefício imediato a concessão de um desconto quando da renovação do seguro. “Esse benefício será concedido independentemente de o segurado renovar o seguro com a mesma seguradora ou optar por buscar uma outra companhia para segurar o seu bem”, salienta Oliboni.

 

Fonte: SindSeg-RS/Seguro Gaúcho

 

Você conhece o Seguro Automóvel da Sustentare? Ele possui ampla cobertura, assim, você poderá personalizar sua apólice com as que melhor atendem suas necessidades e em caso de sinistro, A Sustentare o atenderá com eficiência. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel.

 

24 Fev/17

Viver em um local com tranquilidade e segurança é um desejo recorrente de todas as famílias.

Com contratação obrigatória por lei, esta modalidade de seguro proporciona benefícios de bem comum e particular, fazendo com que em casos inesperados ninguém saia no prejuízo.

Além das coberturas obrigatórias, atualmente são oferecidas outras alternativas, tudo isso para que você personalize a apólice de acordo com suas preferências e necessidades.

Se você obtiver mais informações a respeito desta modalidade de seguro vai concluir que não vale a pena arriscar quando a solução é simples e com baixo custo. A Sustentare dispõe de vários tipos de desconto e condições de pagamento para facilitar a negociação.

Para saber mais sobre as coberturas e benefícios do Seguro Residencial da Sustentare você só precisa acessar o link: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/condominio-para-empresas e acompanhar a série que vem por aí em nossa página do Facebook: https://www.facebook.com/sustentareseguros/

15 Fev/17

Quando passamos a considerar a importância da realização de determinadas atitudes em nossa vida, é comum surgir algumas dúvidas. A seguir, estão as respostas para algumas das perguntas mais frequentes sobre
Seguro de Vida:

1. Qual a diferença entre um Seguro de Vida e um Seguro de Acidentes Pessoais?

O seguro de vida tem como finalidade garantir a segurança financeiro dos beneficiários de um segurado, em caso de morte natural ou acidental. O seguro de vida só será usufruído pelo próprio segurado, em caso de invalidez total, parcial ou permanente, desde que este tipo de cobertura faça parte das cláusulas da apólice.

Já o seguro de acidentes pessoais, cobre apenas morte acidental, ou oferece uma indenização aos segurados em caso de acidente que os impossibilite de trabalhar, provocando invalidez temporário ou permanente, parcial ou total, ou em caso de doenças graves. Mas as coberturas dependem do tipo de contrato. Quanto mais ampla a cobertura, mais caro é o seguro.

2. Só os familiares podem ser beneficiários de um Seguro de Vida?

Não, o segurado tem liberdade para escolher quem quiser para nomear como seu beneficiário, seja familiar ou não.

3. Meu pai morreu e eu tinha um Seguro de Vida, mas não sei em qual seguradora. Como saber se sou sua beneficiária?

A primeira maneira de tentar descobrir e procurando, entre os documentos do seu pai a apólice. A outra alternativa seria consultando a SUSEP – Superintendência de Seguros Privados. Para isso, precisa pedir para que seja feita uma consulta com o CPF do seu pai, para então descobrir qual é a seguradora e quem são os beneficiários. Mas atenção: a SUSEP não é obrigada a prestar este tipo de serviço.

4. Se eu fizer um Seguro de Vida, mas não nomear ninguém como beneficiário, quem recebe a indenização?

Neste caso, metade da indenização vai para o cônjuge, desde que não esteja divorciado, e a outra metade  é dividida entre os herdeiros. Se o seguro for feito com garantia de pagamento de dívidas, e o segurado tiver um financiamento em seu nome, por exemplo, o dinheiro da indenização deve primeiro pagar a dívida. O que restar vai para os familiares diretos.

5. Como o valor do Seguro de Vida é calculado?

O valor do seguro varia de acordo com a idade. Como cobre morte natural ou acidental, quanto mais velho for o segurado, mais caro é o seguro.

6. Sou obrigado a renovar o meu contrato de Seguro de Vida?

Não, nem você e nem a seguradora são obrigados a renovar o contrato. No caso de não interesse em renovar a apólice, por qualquer uma das partes, a decisão deve ser previamente comunicado num prazo de até 60 dias antes do final da vigência do contrato.

7. Qual o limite mínimo e máximo de idade para fazer um Seguro de Vida?

A idade mínima é 14 anos, e a máxima depende da seguradora. No geral, as seguradoras limitam entre 60 e 65 anos.

8. Posso fazer mais de um Seguro de Vida?

Sim. Os beneficiários receberam, respectivamente, a indenização das seguradoras de acordo com os valores capitais contratados individualmente.

9. Se o beneficiário não quiser receber o Seguro de Vida, quem recebe?

Caso os beneficiários recusem o recebimento do dinheiro, podem indicar expressamente quem deve receber. Caso não façam a indicação, o seguro de vida vai para o cônjuge e para os herdeiros.

10. Atrasei um mês o pagamento do meu Seguro de Vida e a seguradora o cancelou. Isto é legal?

Depende das condições do seu contrato. Em caso de inadimplência, as seguradoras podem adotar um período de tolerância e cobrir os sinistros durante este período, ou podem suspender, não pagando o sinistro durante o período inadimplente.

 

Fonte: E-konomista

 

Ainda lhe restou alguma dúvida? Entre em contato com a Sustentare e obtenha mais informações: https://sustentareseguros.com.br/index.php/contato

06 Fev/17

Quando falamos sobre a importância do Seguro Vida muitos de nós não queremos nem pensar no assunto por se tratar de um tema desconfortável, ou por achar que alguma coisa nunca irá nos acontecer. No entanto, duas certezas podemos ter em nossa vida: a primeira é de que pagaremos impostos e a segunda de que um dia partiremos desse mundo, correto?

Bem, se ainda isso não é suficiente para fazê-lo pensar a respeito vamos elencar alguns dos benefícios sobre a importância do Seguro de Vida no Planejamento Financeiro Pessoal e Familiar:

A primeira delas e que muitos não sabem: o Seguro de Vida é a base do Planejamento Financeiro Pessoal e Familiar e, como não construímos uma residência pelo telhado, precisamos de uma estrutura para que a mesma possa ser erguida. Uma forma de termos uma vida financeira sólida começa na escolha de um adequado seguro para a proteção de nossa família;

O Seguro de Vida é fundamental, pois até você acumular os recursos que necessita para a sua aposentadoria é necessário que tenha algo que lhe garanta o hoje caso algo lhe aconteça;

Mitos descabidos como: deixar dinheiro para o “Ricardão” ou frases como: “eles que se resolvam após minha partida”; estão longe de serem atitudes responsáveis de pessoas que, as vezes, esquecem de que outras nem pediram para vir para esse mundo, mas que estão aqui por alguma razão;

Muitas pessoas valorizam mais seus bens materiais investindo alguns milhares de reais para o seguro de seu automóvel e deixam de proteger o bem mais precioso que está dentro do carro que é a própria pessoa e sua família achando ainda um absurdo pagar algumas dezenas de reais em algo que elas dizem: “não será utilizado!”.

Reflita e questione-se: Caso lhe aconteça algo amanhã como seria a vida financeira das pessoas que tanto ama e que dependiam única e exclusivamente de sua fonte de renda? Será que as mesmas viveriam dependentes da ajuda de parentes e amigos ou de caridade? Será que teriam que voltar ao mercado de trabalho para poder manter suas necessidades financeiras básicas ou assumir um negócio próprio que mal conhecem?

O Seguro de Vida é lembrado somente quando a pessoa ou a família precisa do mesmo, mas como assim a pessoa? Sim, a pessoa pode usufruir do mesmo em vida, pois no caso de uma invalidez por acidente ou doença em que o indivíduo não falece, mas está incapacitado para desenvolver suas atividades profissionais que lhe proporcionavam renda ele também pode contar com esse serviço financeiro, além de outros benefícios adicionais como a Assistência Viagem que cobre, por exemplo: situações de assistência médica, odontológica e até farmacêutica no exterior em viagem ou remoções inter-hospitalares, hospedagem de acompanhantes em caso de acompanhamento do beneficiário, dentre outras vantagens oferecidas como complemento do seguro.

O que muitos não percebem é que além de ser uma forma de garantir o hoje, o seguro de vida é também uma poupança antecipada e que no futuro essa relação de dependência pelo mesmo pode ser substituída através de um bom plano de investimento que lhe garanta renda para atender suas necessidades financeiras e cujo seus compromissos financeiros já não são tão grandes como eram em sua fase ativa onde tinha cônjuge e filhos pequenos que necessitavam de alimentação, educação, saúde e vestuário somando-se a isso os financiamentos a serem pagos como os da residência ou do carro, ou seja, com os descendentes encaminhados e as contas mais pesadas quitadas a necessidade de recursos será somente para a manutenção do patrimônio adquirido ao longo de décadas de trabalho.

Portanto, essa historia de valorizarmos somente o patrimônio material e negligenciarmos nós mesmos; em dias em que se está cada vez mais difícil conseguir renda para suprir nossas necessidades… é coisa do passado! Se não cuidarmos de nós mesmos quem cuidará? Pergunte-se: “junto com meu Deus e minha família, quem é a pessoa mais importante desse mundo?” Se a resposta for: eu mesmo! Então vale a pena proteger esse bem tão precioso!

 

Autor: Rogério Nakata – Planejador Financeiro Pessoal e Familiar
www.economiacomportamental.com.br/artigos-sobre-planejamento-financeiro

 

Se você ainda não possui um seguro de vida, o melhor é que começar a considerar a ideia hoje. A Sustentare oferece esta modalidade de seguro com diferentes opções de cobertura. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/vida

26 Jan/17

Uma das vantagens que o Seguro Residencial oferece é a cobertura de Responsabilidade Civil Familiar. Apesar desse nome um pouco complicado essa cobertura é simples e muito importante para proteger você e seu bolso.

A cobertura de Responsabilidade Civil Familiar serve para indenizar danos causados à terceiros pelo segurado, cônjuge, filhos menores, empregados durante o trabalho, animais domésticos ou outras pessoas que morem com você e sejam seus dependentes financeiros.

Vamos explicar através de exemplos quando essa cobertura pode ser acionada:

  • Seu cachorro morde o carteiro ou jornaleiro;
  • Seus filhos jogando bola quebram a vidraça do vizinho;
  • Você derruba um objeto da sacada de seu apartamento e ele atinge alguém na rua;
  • Sua empregada doméstica sofre um acidente de trabalho;

Nesses exemplos você seria a pessoa responsável por arcar com os prejuízos e despesas causadas pelos acidentes. Com a cobertura de Responsabilidade Civil Familiar do Seguro Residencial quem arca com esses custos é a seguradora.

E essa é só uma das coberturas do Seguro Residencial. Além disso, ele custa menos do que você imagina. Entre em contato com um dos corretores da Sustentare Seguros, conheça mais sobre o do Seguro Residencial e saia de férias tranquilo, sem sustos na volta. Fale conosco clicando neste link https://sustentareseguros.com.br/index.php/contato

23 Jan/17

Você sabia que enquanto você descansa e se diverte nas férias as ocorrências de problemas elétricos e hidráulicos aumentam em 25% por falta de manutenção? Pois é, nós não queremos deixar você preocupado enquanto curte o belíssimo litoral brasileiro e justamente por isso preparamos algumas dicas para você tirar férias tranquilo e não ter surpresas desagradáveis quando voltar.

Antes de ler as dicas lembre-se: faça uma cotação de seguro residencial na Sustentare Seguros da sua região e tenha cobertura para roubos, hidráulica, eletrodomésticos da linha branca, dentre outros.

Com seguro residencial você evita surpresas desagradáveis na volta das férias. Fale com corretor da Sustentare.

Antes de viajar:

  • Tire os equipamentos da tomada. Chuvas e trovoadas, ou mesmo um curto circuito podem queimar seus equipamentos ou até mesmo causar incêndios.
  • Tire da geladeira todos os alimentos que podem estragar durante a sua ausência e os descarte. Congele aqueles que podem ser congelados e diminua a temperatura da geladeira, já que você não irá abrir e fechar a porta o tempo todo.
  • Lave a louça e tire os lixos para não ser surpreendido por cheiros desagradáveis quando voltar.
  • Desligue a energia da porta automática da garagem.
  • Feche o registro da água para evitar vazamentos inesperados.
  • Sabe o seu melhor amigo? Fale pra ele passar na sua casa uma vez ao dia recolher jornais, correspondências e “esconder” todos os vestígios de sua ausência.
  • Suspenda a entrega de jornais e revistas.
  • Desligue ou diminua o volume da campainha ou telefone. Um telefone tocando o tempo todo sem ninguém atender é sinal de que a casa está vazia.
  • Deixe seu contato com um vizinho ou amigo de confiança para avisá-lo caso algo anormal aconteça.
  • Desligue o gás.
  • Outra dica importante: se você for viajar faça um seguro viagem. Você sairá ainda mais protegido e tranquilo para curtir as férias com o pensamento longe de casa.  Boas férias.

 

04 Jan/17

Com a chegada do início do ano vem também a temporada de férias. Segundo um levantamento feito pelo Conselho Executivo de Viagens e Eventos Corporativos da FecomércioSP, no mês de outubro, 26,3% dos brasileiros pretendiam viajar entre o final de 2016 e o começo de 2017 – uma porcentagem 4% superior ao mesmo período do ano anterior. Mas nessa época, não são apenas os índices de viagem que aumentam: crescem também os casos de roubos, furtos e imprevistos domésticos.

O aumento desses riscos acontece justamente porque, durante as férias, as casas se encontram vazias e vulneráveis. E para evitar tais incidentes e contribuir para que o viajante tenha um descanso livre de precupações com o lar, o Itaú Seguro Residencial lista abaixo cinco dicas para proteger as residências :

. Atenção com o gás: Certifique-se que a válvula de gás esteja fechada para evitar vazamentos e prevenir uma explosão.

Cuidado com a segurança: Teste as fechaduras e os trincos da residência e, se possível, instale reforço nas portas. Não deixe as chaves escondidas no imóvel e nem com terceiros, a menos que estas sejam pessoas de extrema confiança.

. Desligue os aparelhos eletrônicos: Para evitar o consumo desnecessário de energia elétrica ou até mesmo danos aos equipamentos eletrônicos, que podem acontecer em decorrência de uma eventual descarga elétrica, desligue os aparelhos das tomadas.

. Não comunique sua ausência a estranhos: Evite falar sobre sua ausência durante as férias para pessoas estranhas. Caso aconteça, não informe detalhes, como local e período de ausência. Além disso, peça a um parente ou vizinho de confiança para checar a residência pelo menos uma vez por semana.

. Correspondência: Combine com um vizinho o recebimento de sua correspondência para não acumular e dar indícios de que a casa está vazia.

Mas, além de todas essas dicas, é altamente recomendável a contratação de um seguro residencial – uma alternativa para reforçar a segurança do lar em qualquer época do ano.

 

Fonte: Portal Tri

 

É por isso que a Sustentare oferece um Seguro Residencial com ampla cobertura. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/residencial

29 Dez/16

O ano de 2016 está terminando e você não programou a próxima viagem? Este post é para você que precisa planejar um passeio de última hora! Anote aí as nossas dicas:

Fique de olho nas promoções de passagens aéreas

O celular será o seu principal aliado nessa missão. Há aplicativos como o Hopper, onde você pode fazer buscas especificando apenas o trecho que deseja e ele te mostra quais são as datas mais baratas para voar, nos próximos seis meses! Apesar de ser em inglês, ele é super fácil de usar, já que é bem intuitivo e apresenta calendários com os dias divididos em cores (os mais baratos em verde e os mais caros em vermelho). Se você só puder viajar em um período específico, fica um pouquinho mais difícil, mas dá para baixar também o Voopter, metabuscador nacional que apresenta as menores tarifas em diversas cias aéreas e agências de viagem online.

Pegue uma carona de carro

Não quer encarar as rodoviárias lotadas, nem arcar sozinho com a gasolina e os pedágios? Há um ano no Brasil, o Blablacar é uma plataforma de compartilhamento de viagens de carro, onde você pode oferecer lugares no seu automóvel ou procurar carona com alguém que vá para o seu destino, no período desejado. Uma corrida São Paulo – São Sebastião, no final de semana que antecede o natal, por exemplo, sai por R$ 22.

Saiba onde encontrar diárias baratas em hotéis

Há alguns aplicativos onde você consegue fechar diárias em cima da hora – no máximo sete dias antes da data do check-in -, como o Hotel Tonight, com excelentes ofertas, principalmente para hotéis boutique e de redes como Hyatt e Marriott no mundo (ele ainda não está presente no Brasil). Grandes metabuscadores, com Blooking e Expedia também contam com uma área só com as barganhas de last minute.

Consiga hospedagem grátis (ou quase)

Em comunidades como Couchsurfing é possível conseguir um sofá para dormir gratuitamente e ainda conhecer viajantes do mundo todo. No Airbnb você encontra vagas na casa de pessoas locais por valores bem abaixo dos cobrados nos hotéis – principalmente no período das festas. Outra opção é trocar o seu talento por hospedagem em hostels pelo mundo, através do Worldpackers. Você pode, por exemplo, ajudar a montar o site do local que te receber, tirar fotos profissionais, dar aula de surf ou yoga, enfim, trabalhar um pouquinho e aproveitar ao máximo depois, sem gastar nenhum centavo.

Compre pacotes com desconto

Sim, eles começam a aparecer, principalmente em operadoras que contam com voos fretados e/ou que bloqueiam muitos lugares nos aviões e quartos de hotéis, como CVC e Agaxtur.

 

Fonte: Viagem e Turismo

 

Preparamos uma sexta dica para você: garanta uma viagem segura. A Sustentare dispõe de Seguro Viagem para que você não tenha preocupações e a aproveite melhor. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/viagem

28 Dez/16

Marcelo Cruz graduou-se em administração de empresas recentemente e já conquistou uma vaga na empresa de consultoria financeira no bairro do Itaigara, onde estagiou no seu último ano de faculdade.

Mas, se muitos outros colegas de sua faixa etária – 23 anos – já pensariam em celebrar essa primeira conquista profissional com uma série de ostentações, se dando liberdade para gastar mais – seja em festas, viagens ou bens materiais – o jovem optou por fazer diferença e pensar no futuro, aderindo a um plano de previdência privada.

Influenciado pelas notícias das recentes reformas trabalhistas que tem rendido debates acalorados tanto no Congresso Nacional, quanto fora dele, Marcelo é parte de uma geração que se preocupa quando vai poder, de fato, aproveitar a vida ao final de sua trajetória na profissão que escolheu seguir.

E, como as recentes reformas tornam mais rígidas a aposentadoria com recebimento integral do benefício, todo esforço que puder vir mais cedo, pode significar um ano a mais de tranquilidade.

“Não penso em abdicar do meu lazer, dos meus sonhos de consumo, ou da minha vida social, mas é uma realidade que preciso começar a pensar desde já. Se eu ficar deixando para mais tarde, e só gastar por gastar, poderei demorar bem mais para fazer isso”, explica ele.

Neste momento, Marcelo investe parte do que ganha numa especialização, enquanto se esforça também para juntar outro pequeno montante que seria para comprar um carro – este último, contudo, não está em suas prioridades do momento, já que pode usufruir dos veículos de seus pais durante uma parte da semana.

Entre as mudanças previstas na Previdência, está a determinação da idade mínima de 65 anos para se aposentar, além da elevação do tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos. Para receber o benefício integral é preciso atingir os resultados de 95 (para homens) e 85 (para mulheres) na soma da idade com o tempo de contribuição.

Na regra atual, é possível solicitar a aposentadoria com 35 (homens) ou 30 (mulheres) anos de contribuição, sem uma idade mínima para isso. Com a reforma aprovada, todos os trabalhadores com idade inferior aos 50 anos passarão a fazer a obedecer ao novo sistema de contribuição.

Muitos serão penalizados

Segundo Juliana Carneiro, de 20 anos, que está indo para o terceiro semestre do curso de Odontologia, o receio de precisar trabalhar bem mais tempo para se aposentar ainda não foi sentido plenamente por tantos colegas seus. “O pessoal acompanha notícias, até sabem superficialmente das mudanças, mas não acho que eles estejam muito preocupados, e sim querem curtir mais o momento da faculdade”, conta.
Para a estudante, existe sim uma necessidade de reforma, por causa da mudança que está acontecendo na própria pirâmide etária da sociedade brasileira, mas acha que nem todos poderão se preparar a tempo. “O pessoal da minha idade pode começar a se preparar desde agora, mas, quem já está com seus 35, 40 anos vai sofrer com essas regras novas, e isso eu acho injusto”, opinou.

NECESSIDADE

A reforma na Previdência ainda está para ser votada no plenário da Câmara dos Deputados, mas, independentemente do resultado, fará bem, principalmente ao jovem, se antecipar e começar a vê-la como sua realidade. De acordo com o economista e consultor financeiro Edísio Freire, se planejar o quanto antes é a melhor saída para ter uma sonhada aposentadoria estável.

“Enquanto a pessoa irá deixando para mais tarde, maior será o volume de recursos que ele terá que juntar para ter uma aposentadoria estável. Acumular para a aposentadoria é diferente de economizar recursos para uma viagem ou para um bem material de alto valor, é um hábito que você vai adquirindo com o passar do tempo, mas quanto mais cedo se fizer, mais proveitoso pode ser futuramente”, explicou Freire.

Para o economista, existe uma série de fatores que tem dificultado esse hábito. “A atual geração de jovens é mais dependente financeiramente dos pais, e não tem o mesmo costume de guardar recursos, é extrapola os limites para consumir, gosta de ostentar, e isso é prejudicial para quem deseja ter, futuramente mais liberdade financeira ao final da seu carreira profissional”, avalia.

O ideal, segundo o economista, é tornar a educação financeira presente desde cedo, e fazer com que a criança e o adolescente de hoje entendam que os tempos são outros. “Não é preciso criar traumas, mas pequenos hábitos que vão pouco a pouco fazendo com que o jovem vá percebendo a importância de se economizar”.

 

Fonte: Tribuna da Bahia

 

Jovens atentos, como o Marcelo, já estão buscando por alternativas de economizar que os irão favorecer no futuro. A Sustenatre oferece o plano de Previdência Privada ideal para você. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/previdencia-privada

26 Dez/16

A partir do ano que vem, você poderá pagar o seguro obrigatório, o DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), a preços menores. Conforme publicado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) nesta quarta-feira, 21, no Diário Oficial da União, o preço para proprietários de automóveis será de R$ 63,69, o que representa uma redução de R$ 37,41 em comparação com o preço praticado anteriormente, sem considerar taxas e impostos.

Os preços menores representam uma redução de 37 por cento em relação aos cobrados antes. Trata-se da primeira vez que o valor do DPVAT sofre redução. De acordo com a Susep, esse reajuste foi aplicado devido ao menor número de indenizações pagas nos últimos dois anos, sobretudo em casos de invalidez.

Além desses valores, é preciso pagar uma taxa de R$ 4,15 pela emissão do bilhete de seguro para quem optar pelo pagamento em cota única ou R$ 9,63 para quem parcelar em até três vezes.

Apesar do reajuste, o valor de indenizações é o mesmo de antes, de R$ 13,5 mil por morte, até R$ 13,5 mil por invalidez permanente e até R$ 2,7 mil para despesas médicas. O DPVAT cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médica e suplementares (DAMS) por lesões de menor gravidade causadas por acidentes de trânsito em todo o território brasileiro.

No entanto, a nova medida afeta diretamente o Sistema Único de Saúde (SUS), já que 45% do montante pago ao seguro obrigatório é destinado a ele, com perdas na ordem de R$ 1,3 bilhão anuais. Atualmente, são cerca de R$ 8 bilhões anuais.

Confira abaixo os novos preços do DPVAT 2017 (sem taxas e impostos):

Automóveis e camionetas: R$ 63,69 (antes era R$ 101,10)
Táxis, carros de aluguel e aprendizagem: R$ 63,69 (era R$ 101,10)
Ônibus, micro-ônibus e lotação com cobrança de frete: R$ 246,23 (era R$ 390,84)
Ônibus, micro-ônibus e lotação sem cobrança de frete: R$ 152,67 (era R$ 242,33)
Ciclomotores até 50 cc: R$ 81,90 (era R$ 130,00)
Motocicletas, motonetas, ciclomotores e similares: R$ 180,65 (era R$ 286,75)
Caminhões e caminhonetas até 1.500 kg de carga: R$ 66,66 (era R$ 105,81)

 

Fonte: Notícias Automotivas

 

Com a diminuição do preço do seguro obrigatório tem-se a oportunidade de começar a investir em um seguro automóvel. O Seguro Automóvel da Sustentare, além de auxílio pessoal, ainda cobre outras formas de prejuízo. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel.

21 Dez/16

Para quem quer comprar a casa própria e está confiante na recuperação da economia, o ano que vem pode reservar oportunidades

Apesar de o cenário político e econômico do país não permitirem traçar uma previsão clara sobre qual será o desempenho do mercado de imóveis para o ano que vem, em um ponto os especialistas concordam: após uma queda real de 6,25% nos últimos 12 meses, os preços de casas e apartamentos tendem a ficar estáveis em 2017.

No ano que vem, o mercado deve atingir o fundo do poço quando se fala de preços, segundo João da Rocha Lima, professor do Núcleo de Real State da Poli-USP. “Considerando um cenário no qual a economia comece a se recuperar devagar, e a inflação caia, os preços devem ficar estáveis até voltarem a subir”. Além disso, as construtoras já estão com margens bastante apertadas para diminuir preços, diz Lima. “Não há espaço para mais quedas”.

Apesar de ainda não haver no horizonte a previsão de um aumento de renda dos consumidores para incentivar a compra da casa, a expectativa de Flavio Amary, presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), é de que ao menos o nível de desemprego pare de piorar no ano que vem. Nesse cenário, o executivo aponta que empresas preferem deixar os preços estáveis e aguardar uma retomada da economia.

Estoque ainda é problema

A exceção nesse cenário são empresas que ainda têm estoque de imóveis prontos e precisam de dinheiro. “Essas construtoras querem se livrar dessas unidades o quanto antes. Como consequência, cobrarão preços mais atrativos por elas”, diz Lima. Amary concorda, ainda que, assinala, hajam menos empresas nessa posição agora do que nos últimos anos.

Apesar de não serem divulgados dados confiáveis sobre o tamanho do estoque de imóveis prontos, que geram mais custos para as empresas, Lima acredita que o problema ainda não foi resolvido por conta de um aumento no cancelamento dos contratos já firmados, que acaba fazendo com que o estoque de imóveis volte a aumentar. No acumulado deste ano até outubro, foram distratadas 37.702 unidades, 33% das unidades entregues pelas construtoras no período.

Geralmente, os contratos de imóveis na planta são cancelados porque o mutuário não consegue financiamento bancário no momento da entrega das chaves, seja porque ficou desempregado ou porque os bancos aumentaram as exigências frente a um aumento na inadimplência e do desemprego.

“Há quem diga que, para cada imóvel vendido, dois contratos são cancelados. Esse problema deve ser solucionado até o final do primeiro semestre de 2017, quando a economia deve começar a melhorar. Mas não temos dados precisos sobre isso”.

 

Fonte: EXAME.com

 

O ano de 2017 será o momento de aproveitar o cenário de preços baixos no ramo imobiliário para sair do aluguel ou adquirir um novo imóvel. A Sustentare oferece a você um vantajoso Consórcio de Imóveis. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/consorcio-de-imoveis.

19 Dez/16

Um dos principais sites de viagens do mundo, o TripAdvisor divulgou nesta sexta-feira (2) uma lista com os lugares brasileiros que seus usuários mais estão buscando para as férias de verão.

São eles, do primeiro ao décimo colocado: Gramado (RS), Porto de Galinhas (PE), Rio de Janeiro (RJ), Maragogi (AL), Florianópolis (SC), Maceió (AL), Porto Seguro (BA), Natal (RN), Jericoacoara (CE) e Fortaleza (CE).

Trata-se dos destinos que mais têm sido pesquisados nas ferramentas de busca de voos e hotéis do TripAdvisor para o período entre 21 de dezembro de 2016 e 20 de março de 2017.

“Neste verão, os viajantes brasileiros estão com preferência por destinos praianos dentro do país, com exceção de Gramado”, diz Claudia Martinelli, porta-voz do TripAdvisor no Brasil. ”Nosso estudo também mostra que planejar a viagem com antecedência e ter flexibilidade nas datas pode render economias significativas”.

Em seu levantamento, o site identificou os períodos do verão em que os destinos citados no ranking estarão com preços de passagens e hospedagem mais em conta.

Em Gramado, isso acontecerá na semana do dia 5 de fevereiro do ano que vem. No Rio de Janeiro, por sua vez, o custo de viagem estará mais baixo na semana do dia 4 de dezembro. Já para Maragogi, Jericoacora e Fortaleza é possível encontrar passagens e hospedagem mais baratas do que a média na semana do dia 26 de março de 2017. E o turista poderá fazer boas economias se realizar uma jornada a Maceió ou Porto Seguro na semana de 12 de março.

Essa tendência de preços, logicamente, pode mudar nas próximas semanas ou meses.

Destinos mais baratos

Segundo o TripAdvisor, Fortaleza é o lugar da lista mais barato para conhecer neste verão. O preço médio de uma viagem de sete dias para a capital cearense nos próximos meses é de R$ 4.395 por pessoa (contando sete diárias de hotel, passagens de ida e volta, dois passeios turísticos e três refeições em restaurantes por dia).

Porto Seguro, por sua vez, vem em segundo lugar: a jornada de sete dias no verão para o balneário baiano sai, em média, por R$ 4.743. Já para Maceió (o terceiro lugar mais barato do ranking) a viagem custa, em média, R$ 4.788. E o destino mais caro do levantamento do TripAdvisor é Maragogi: para passar uma semana lá, o turista irá gastar, em média, R$ 7.363.

 

Fonte: UOL Viagem

 

Antes de viajar garanta que estes dias sejam agradáveis e tranquilos, esteja seguro. A Sustentare possui seguro viagem com coberturas que são fundamentais para você aproveitar as férias sem preocupações. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/viagem

 

 

16 Dez/16

De madrugada e após sessão tensa e tumultuada, deputados aprovam constitucionalidade de emenda à Constituição. Proposta segue agora para análise de comissão especial, a ser instalada somente em fevereiro.Após quase 12 horas de discussão, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta quinta-feira (15/12) o parecer do deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) pela constitucionalidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, sobre a reforma da Previdência. A votação foi concluída às 2h53, com 31 votos a favor e 20 contra.

O texto segue agora para análise de uma comissão especial na Casa, que deve ser instalada somente em fevereiro do ano que vem, após o recesso parlamentar e a eleição da nova Mesa Diretora da Câmara.

A PEC prevê a idade mínima de 65 anos e ao menos 25 anos de contribuição para que o trabalhador possa se aposentar.

Saiba mais: O que está em jogo na reforma da Previdência

Os trabalhadores de ao menos 50 anos de idade, no caso dos homens, e 45 anos, no caso das mulheres, deverão obedecer integralmente às novas regras. Os contribuintes que estão acima dessas idades e ainda não alcançaram o direito de se aposentar passarão a fazer parte de uma faixa de transição. De acordo com a proposta, esses contribuintes terão de pagar um “pedágio” de 50% a mais no tempo que ainda faltaria para atingir a idade mínima de aposentadoria, tendo como base a regra antiga.

Aposentados e aqueles que completarem os requisitos para pedir o benefício até a aprovação da reforma não serão afetados porque já têm o direito adquirido.

A medida é uma das principais propostas do governo para tentar reequilibrar as contas públicas. A estimativa é que as mudanças garantam uma economia de cerca de 740 bilhões de reais entre 2018 e 2027.

Votação de madrugada

A sessão da CCJ foi marcada por forte embate entre deputados da oposição e da base aliada. A votação na madrugada foi alvo de críticas. “A madrugada é péssima conselheira e inimiga da transparência do Parlamento”, disse o deputado da oposição Chico Alencar (PSOL-RJ).

“Essa comissão estava trabalhando há cinco horas, e foi pedido que não se suspendessem os trabalhos. Isso foi uma falha incrível”, afirmou o líder do PSD na Câmara, Rogerio Rosso (DF). “Ninguém vai acreditar que votamos de madrugada por uma boa razão”, argumentou o governista Esperidião Amin (PP-SC).

Na última sessão concluída madrugada adentro, a Câmara desfigurou o pacote de medidas contra a corrupção.

Críticas à PEC

Os deputados também criticaram a definição de uma idade mínima para a aposentadoria. “No Maranhão, a expectativa de vida é bem próxima dos 65 anos. Além disso, 80% dos aposentados ganham até um salário mínimo e são trabalhadores pobres, não é justo que se peça a eles que estendam suas contribuições”, disse o deputado Ivan Valente (PSOL-SP).

“A proposta retira direitos dos trabalhadores. É um absurdo o que este governo está propondo. É preciso que se resolva isso de outra forma, especialmente cobrando os recursos que foram desviados da conta da Previdência”, argumentou o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), criticando o argumento do governo de que a Previdência é deficitária.

“Há necessidade de acharmos o equilíbrio entre as contas do país e o direito daqueles que contribuíram durante toda a vida. Se há pontos errados, vamos melhorar a proposta, mas uma reforma precisa ser feita”, afirmou o deputado Betinho Gomes (PSDB-PE).

Acordo entre oposição e base aliada

Governo e oposição chegaram a um acordo segundo o qual os partidos contrários à admissibilidade da proposta interromperam a obstrução dos trabalhos. Em troca, o governo se comprometeu, caso o parecer de Moreira fosse aprovado, a criar e instalar a comissão especial da PEC somente em 2017. A comissão terá o prazo de 40 sessões para apresentar o resultado de seus trabalhos.

O intuito é que a instalação da comissão ocorra após a escolha do novo presidente da Câmara e dos novos líderes partidários, marcada para 1º de fevereiro, evitando assim que Maia use a instalação da comissão para se fortalecer para disputar a reeleição.

Apesar da aprovação da PEC pela CCJ, o grande número de críticas e a sessão tensa e tumultuada, inclusive da base do presidente Michel Temer, sinaliza que o texto ainda deve ser modificado pelos parlamentares.

 

Fonte: Terra

 

Uma ótima alternativa de garantir um futuro tranquilo sem depender exclusivamente de planos governamentais é a Previdência Privada. A Sustentare oferece diversos planos de previdenciários, basta escolher qual mais se adapta à suas necessidades. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/previdencia-privada

14 Dez/16

De acordo com Avena, a previdência privada é um bom negócio na medida em que complementa a renda da previdência pública

O verdadeiro pânico gerado pela anunciada reforma da Previdência, com ênfase na norma de aposentadoria por tempo de serviço, tem levado muita gente a recorrer à chamada previdência privada, ou seja, investir em planos não governamentais para garantir algum rendimento extra quando deixar de trabalhar. Para o economista baiano Armando Avena, “a opção é excelente, mas é necessário ter alguns cuidados.”

De acordo com Avena, a previdência privada é um bom negócio na medida em que “complementa a renda da previdência pública. Hoje o INSS paga, no máximo, em torno de R$ 5 mil como teto, e a verdade é que a maioria dos trabalhadores se aposenta com rendimentos entre mil e poucos ou dois mil reais, no máximo.”

No entanto, o economista alerta que a previdência privada deve começar a ser feita “o mais cedo possível, pois, assim, o trabalhador vai gastar menos por mês e terá um horizonte mais tranquilo.”

CUIDADOS

Armando Avena explica que é preciso muito cuidado na escolha do plano de aposentadoria privada: “Há várias opções, mas dois planos clássicos, ou seja, o PGDE, que tem a vantagem de descontar do Imposto de Renda o que é aplicado, desde que se use o formulário completo, mas traz a desvantagem do desconto do Imposto de Renda sobre capital e rendimentos, quando o trabalhador for receber.”

O outro plano clássico é o VGBL, no qual não se pode descontar no Imposto de Renda o que é aplicado, “mas, em compensação, quando a pessoa passa a receber os rendimentos só é descontado imposto sobre o rendimento, ou seja, o aposentado recebe mais. Em ambos os casos, porém, é importantíssimo saber a taxa de administração, que varia de acordo com a operadora do plano”, ressalta Avena.

O economista enumera ainda uma terceira alternativa para a previdência privada: “Simplesmente aplicar em letras do Tesouro Nacional, a longo prazo. Trata-se de um ótimo investimento, garantido e de maior rentabilidade. Porém, há uma ressalva: neste caso, ao contrário das duas outras opções, nas quais a pessoa recebe os rendimentos mensalmente, o trabalhador retira tudo de vez e cabe a ele administrar o resultado do investimento.”

 

Fonte: Tribuna da Bahia

 

Conforme alerta o economista Avena, deve-se começar a investir o mais breve possível em Previdência Privada. A Sustentare oferece uma ótima indicação para esta modalidade de seguro. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel.

13 Dez/16

De acordo com a literatura, pneu frio é aquele que não rodou nas últimas quatro horas. A temperatura-padrão para medição da pressão do pneu é de 21° C.

Se a temperatura do pneu for outra, é possível corrigir a pressão que foi medida, o que pode ser feito por meio de uma fórmula específica, usando-se o valor da temperatura em Kelvin (lembre-se de que 0° C = 273,15 K).

Veja abaixo um exemplo de como calibrar um pneu com pressão recomendada pelo fabricante de 25 psi quando a temperatura do pneu está em 35° C:

Temperatura padrão: 21°C = (21 + 273,15) = 294,15 K = T1

Temperatura medida: 35° C = (35 + 273,15) = 308,15 K = T2

A fórmula é: (P1 x T2) / T1

Portanto teremos: (25 x 308,15) / 294,15 = 26,2 psi

Ou seja, a 35° C devemos calibrar o pneu com 26,2 psi para que a pressão seja equivalente às 25 psi recomendadas pelo manual a 21° C.

Para medir a temperatura do pneu, existem vários termômetros infravermelhos do tipo pistola, com preços entre R$ 69 e R$ 159, à venda na internet. Há também monitores de pressão e temperatura dos pneus, como o TPMS, testado recentemente por QUATRO RODAS.

 

Fonte: Quatro Rodas

 

A calibragem correta dos pneus de seu carro contribui com a sua segurança na estrada, assim como um seguro. O Seguro Automóvel da Sustentare possui ampla cobertura para você ou para sua empresa. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel.

07 Dez/16

A casa própria talvez seja um dos sonhos mais comuns entre os brasileiros. Entretanto, na hora de realizar essa grande vontade, sempre surge a dúvida: o que procurar, apartamento ou casa à venda? A aquisição de um novo lar é algo muito importante na vida do futuro proprietário, portanto, é importante pensar nas vantagens e desvantagens que cada tipo de imóvel pode oferecer, para que não surjam frustrações com o domicílio no futuro.

Vantagens de casa

Espaço

É normal que as casas tenham um espaço maior do que os apartamentos. Além disso, existe uma enorme tranquilidade para ditar suas próprias regras, ao contrário do condomínio, onde o proprietário precisa lidar com alguns conflitos quando quiser fazer algo “diferente” no lar, como festas e reuniões.

Independência

Uma outra característica importante é a independência do imóvel. O proprietário pode fazer reformas estruturais, como aumentar a cozinha, fazer uma varanda, mais um quarto, entre outras mudanças. Desde que a planta e o terreno do imóvel permitam.

Segurança

Mesmo que a maioria das pessoas pensem que a segurança de um apartamento é maior, nem sempre isso é totalmente verdade. O valor gasto com o condomínio pode ser investido em equipamentos elétricos, serviços de segurança ou patrulha de rua que, no total, podem custar ainda menos que uma taxa condominial. Também existem as casas em condomínios fechados, que geralmente trazem os mesmos itens de segurança que os prédios.

Garagem

Com tantos automóveis espalhados pela cidade, ter uma garagem que é só sua já é uma grande vantagem, não é mesmo? Dependendo da casa que escolher, é possível colocar vários carros estacionados, ao contrário do condomínio, onde existem limitações para a quantidade de veículos de cada morador.

Vantagens de um apartamento

Segurança

A maioria das pessoas que escolhem morar em apartamento defendem que a segurança é uma das grandes influências dessa decisão. De fato esse é um item que deve ser levado em conta, especialmente para quem vai se mudar para um prédio com monitoria e controle de acesso ao edifício.

Tranquilidade

Geralmente, por apresentar regras a serem seguidas, os prédios têm menos barulhos do que as casas (isso com relação às festas realizadas por vizinhos e outros ruídos provenientes da rua). Por outro lado, o prédio também apresenta barulhos comuns, como pessoas andando no andar de cima, possíveis obras que os vizinhos façam, barulhos de porta e móveis sendo fechados (armários, guarda-roupas, entre outros). Mesmo assim, morar em um apartamento pode trazer um pouco mais de tranquilidade com relação aos barulhos.

Lazer

Dependendo do condomínio em que escolher morar, é possível ter um grande espaço para que as crianças brinquem. Além disso, o local passa muita segurança para os responsáveis dos pequenos que, provavelmente, vão querer brincar sempre com seus amiguinhos nas áreas de lazer do condomínio. Piscinas e espaços para atividades físicas e diversão também são comuns.

Boa vizinhança

Outra vantagem do condomínio é ter vizinhos sempre por perto. Com isso, quando precisar de ajuda em algo, poderá contar com eles, na maioria das vezes. É imprescindível tentar ter uma boa relação com todos os vizinhos. Falar bom dia, cumprimentar ao esbarrar no elevador ou corredor, por exemplo, pode fazer com que, aos poucos, você ganhe a simpatia de todos.

Comparando seu perfil com o imóvel ideal:

Normalmente, apartamento é para quem:

• Prefere morar em um lugar com opções de lazer, academia, salão de festas.
• Sente-se melhor em imóveis menores.
• Viaja bastante e quer ficar mais tranquilo com relação à segurança do lar.
• Quer praticidade, já que um apartamento é mais fácil de cuidar.
• Não tem tempo e nem jeito para pensar nas manutenções de um imóvel

Normalmente, casa é para quem:

• Quer liberdade, fazendo suas próprias regras.
• Quer maior privacidade e um espaço maior para morar.
• Gosta de animais de estimação grandes.
• Recebe amigos com frequência para eventos sociais, sem hora pra acabar.
• Gosta de ter plantas e cuidar delas em espaços abertos.

 

Fonte: Correio de Uberlândia

 

Agora que você já conhece as vantagens oferecidas por casa e apartamento, já pode se informar sobre um Consórcio de Imóveis pra começar a investir no seu cantinho. A Sustentare tem uma ótima indicação para você. Saiba mais: https://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/consorcio-de-imoveis.

 

02 Dez/16

Manter uma alimentação equilibrada e colocar o corpo para se movimentar são algumas das estratégias para driblar o passar dos anos

A medida que os anos passam, o metabolismo tende a ficar um pouco mais lento e, consequentemente, dependendo da situação, ganhar alguns quilos fica inevitável.

Manter uma alimentação equilibrada, não abusar do álcool, cigarro e outras drogas e colocar o corpo para se movimentar são algumas das estratégias encarar de forma leve e saudável o passar dos anos.

Alguns tipos de exercícios físicos podem também trazer resultados surpreendentes principalmente para aqueles que já passaram dos 40 anos.

A seleção a seguir foi feita por especialistas do EstudioPass, plataforma de assinatura mensal para acesso a diversos estúdios e academias do país, e óbvio é indicada para pessoas de todas as idades.

Vale lembrar, no entanto, que somente um profissional é capaz de indicar o melhor tipo de exercício para o seu perfil.

Crossfit

O que é: treinamento que inclui força, condicionamento em geral e é formado por um mix de exercícios.

Benefícios: resistência cardiorrespiratória, resistência muscular, força, flexibilidade, potência, velocidade, coordenação, agilidade, equilíbrio e precisão.

Pilates

O que é: atividade de baixo impacto que auxilia na flexibilidade e fortalecimento muscular.

Benefícios: melhora a capacidade respiratória, a mobilidade das articulações, o equilíbrio e a coordenação motora.

Funcional

O que é: séries de exercícios feitas com ajuda de diferentes aparelhos, como bolas, pranchas, pesos e que exige do aluno coordenação, força, equilíbrio e agilidade. O mais interessante neste tipo de treinamento é que normalmente ele é moldado de acordo com a necessidade de cada pessoa.

Benefícios: aumenta a força, a resistência, a coordenação e o equilíbrio.

Zumba

O que é:  aula de dança que mistura ginástica e ritmos latinos.

Benefícios: melhora o sistema cardiovascular, músculos inferiores e também a memória, já que é necessário seguir uma sequência para acompanhar o ritmo.

Ioga

O que é: mais do que uma atividade física, o ioga é um estilo de vida.  A atividade mexe não só com o corpo, mas também com a mente.

Benefícios: ajuda a aumentar a flexibilidade e força física, controla a ansiedade, bem-estar emocional e reduz a pressão alta.

Corrida

O que é: embora qualquer um possa começar a correr, trata-se de uma prática que deve sempre ser feita com o acompanhamento de um profissional, uma vez que existe risco de lesão.

Benefícios: melhora a circulação e aumenta a resistência cardiorrespiratória.

 

Fonte: EXAME.com

 

Tão importante quanto manter uma alimentação saudável e seguir uma rotina de exercícios, é contratar um seguro saúde. A Sustentare oferece diversas opções de seguro saúde para você, indicando a que mais se enquadra em seu perfil. Saiba mais: https://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/saude.

30 Nov/16

O 13º salário pode ser uma importante ferramenta para o planejamento tributário e financeiro de longo prazo. Destinando o montante para um plano de previdência complementar, o contribuinte poderá usufruir do benefício fiscal na Declaração de Imposto de Renda em 2017, com um aporte que fará a diferença na sua qualidade de vida em alguns anos, desde que não sejam efetuados resgates no decorrer do período do plano.

Preservar o montante é a alternativa ideal para quem pretende repensar seu planejamento financeiro ou contar com um aporte extra que servirá de incentivo para os planos a serem realizados em 2017.

“Mesmo sendo de longo prazo, um plano de previdência deveria ser revisto anualmente. Com um acompanhamento constante, o cliente poderá verificar se a opção escolhida apresenta os rendimentos compatíveis com o mercado e se o valor aplicado por mês precisa ser ajustado a sua nova realidade”, diz Maristela Gorayb, diretora de Previdência e Vida Resgatável na Mapfre.

PGBL

Investir o 13º salário em um plano de previdência poderá ser ainda mais vantajoso se a opção escolhida for um PGBL. O valor aplicado na previdência complementar no momento do aporte, ou no ano de investimento, é abatido do Imposto de Renda.

Esse benefício tem limite de até 12% da renda bruta anual. Dessa maneira, o Imposto de Renda é cobrado apenas na realização do saque ou quando o contribuinte começa a receber a renda mensal da aposentadoria e em conformidade com o Regime de Tributação escolhido pelo participante do plano de previdência complementar.

“O rendimento ocorrerá sobre uma base maior de dinheiro, aumentando o saldo acumulado ao longo do tempo”, explica Maristela.

 

Fonte: Revista Apólice

 

São necessários dias intensos de trabalho para que o 13º salário seja conquistado, por isso, é indispensável que o mesmo seja gasto de modo consciente. A Sustentare tem uma ótima indicação de investimento em Previdência Privada. Saiba mais: https://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel.

28 Nov/16

Veja o que você precisa saber sobre os diferentes tipos de lavagem para te ajudar a decidir como manter o carro em ordem

Após a crise hídrica que afetou São Paulo, muitas pessoas passaram a adotar a lavagem a seco – por conscientização ou por necessidade. Mas agora existe um outro tipo, a lavagem a vapor, que promete ser mais eficiente e mais duradoura. Veja a seguir algumas vantagens e desvantagens de cada processo para te ajudar a escolher como manter o seu “possante” sempre limpo.

Água e sabão

Como funciona: o modo tradicional adota um balde com água e sabão neutro diluído (ou detergente próprio para veículos), esponjas macias e panos de microfibra para remover a sujeira da carroceria.

Prós: é o método mais barato, cobrando em média de R$ 40 a R$ 50 por um carro pequeno. Além disso, pode ser feito em casa se houver um espaço adequado, de preferência na sombra.

Contras: consome mais água mesmo usando apenas baldes, sem mangueira, no processo. Se não for feito corretamente, pode riscar a pintura ao esfregar a esponja com detritos contra a carroceria.

A seco

Como funciona: adota produtos específicos para remover a sujeira sem a necessidade de molhar a superfície antes. Basta ter o produto de limpeza a seco e panos de microfibra.

Prós: pode ser feita em casa, gasta bem menos água no processo, não precisa secar e, dependendo da sujeira ou da mancha, o produto pode ajudar a remover mais facilmente do que com água e sabão. Duração e custo são similares ao método tradicional – parte de R$ 58 por um carro pequeno (na Dry Wash).

Contras: se não for feita corretamente também pode riscar a pintura.

A vapor

Como funciona: usa o vapor produzido pela água quente e em alta pressão para remover sujeiras e manchas sem esfregar e sem utilizar produtos químicos, preservando a pintura.

Prós: limpa áreas mais difíceis, como partes do interior, cantos de porta e entrada do tanque de combustível, gasta menos água do que a lavagem convencional e promete maior durabilidade – a recomendação é fazer uma vez por mês.

Contras: custa mais caro, já que um carro pequeno sai por R$ 120 (na Shida Serviços Automotivos), e demora mais tempo, cerca de 1h30. Quando usada para higienização do interior, leva aproximadamente três horas para secar completamente.

 

Fonte: iCarros

 

Manter a higienização do automóvel é uma preocupação de todo o proprietário, assim como garantir que o mesmo esteja seguro ao transitar pelas vias.  O seguro automóvel da Sustentare oferece diversas vantagens. Saiba mais: https://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel