Logo Sustentare Seguros

Blog » Dicas


13 Dez/16

De acordo com a literatura, pneu frio é aquele que não rodou nas últimas quatro horas. A temperatura-padrão para medição da pressão do pneu é de 21° C.

Se a temperatura do pneu for outra, é possível corrigir a pressão que foi medida, o que pode ser feito por meio de uma fórmula específica, usando-se o valor da temperatura em Kelvin (lembre-se de que 0° C = 273,15 K).

Veja abaixo um exemplo de como calibrar um pneu com pressão recomendada pelo fabricante de 25 psi quando a temperatura do pneu está em 35° C:

Temperatura padrão: 21°C = (21 + 273,15) = 294,15 K = T1

Temperatura medida: 35° C = (35 + 273,15) = 308,15 K = T2

A fórmula é: (P1 x T2) / T1

Portanto teremos: (25 x 308,15) / 294,15 = 26,2 psi

Ou seja, a 35° C devemos calibrar o pneu com 26,2 psi para que a pressão seja equivalente às 25 psi recomendadas pelo manual a 21° C.

Para medir a temperatura do pneu, existem vários termômetros infravermelhos do tipo pistola, com preços entre R$ 69 e R$ 159, à venda na internet. Há também monitores de pressão e temperatura dos pneus, como o TPMS, testado recentemente por QUATRO RODAS.

 

Fonte: Quatro Rodas

 

A calibragem correta dos pneus de seu carro contribui com a sua segurança na estrada, assim como um seguro. O Seguro Automóvel da Sustentare possui ampla cobertura para você ou para sua empresa. Saiba mais: http://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/automovel.

27 Out/16

Chegar em casa sempre dá uma sensação de segurança. Porém, às vezes, a volta para o lar não é tão tranquila: um roubo, incêndio ou curto-circuito pode colocar o imóvel, ou parte dele, em risco. Para evitar transtornos desse tipo, as seguradoras oferecem um leque de opções das mais diversificadas possíveis para proteger e restaurar uma residência.

A variedade de coberturas que podem fazer parte do seguro residencial é grande. Pode ser contra incêndio, raio e explosão, que são os básicos. Entre as demais possibilidades estão proteção contra roubo, danos elétricos e até mesmo impacto de veículos, válida para carros ou aviões que, por ventura, se choquem contra o imóvel.

Tipos de coberturas

Entre as coberturas mais procuradas está a de roubo. Na hora de incluir esse tipo de cobertura no seguro residencial, é preciso lembrar que itens portáteis estão mais propensos a serem levados.

Em relação a coberturas como danos elétricos, incêndio, alagamento e vendaval, a dica na hora de fazer a apólice é fazer o levantamento apenas do valor da área construída. Um erro comum é fazer o valor do seguro combinando casa e terreno, no entanto um incêndio total só vai custar o valor da reconstrução da casa, o terreno não vai ser afetado.

Além da cobertura básica e de roubo, há outras coberturas, chamadas de acessórias. São elas: cobertura sobre danos provocados por vendaval, granizo, desmoronamento, vidros e espelhos quebrados, responsabilidade civil e familiar (um empregado que se machuca dentro da residência tem direito a receber tratamento médico gratuito pago pelo seguro), aluguel (caso seja necessário deixar sua casa, o seguro paga o aluguel de outra residência por até seis meses), entre outras.

Fique atento

Outros serviços muito comuns disponibilizados aos contratantes de seguro residencial são os de chaveiro, eletricista, encanador e até limpeza de caixa d’água.

Algumas seguradoras estipulam um limite de valor ou um número de visitas ao longo da vigência da apólice, que costuma ser de um ano. Mesmo assim, muitas pessoas não sabem que o seguro cobre essas pequenas despesas e acabam contratando prestadores de serviço por conta própria.

O investimento vale a pena? 
Apesar de uma cobertura ampla, o seguro residencial não é tão caro como parece. É possível fazer um seguro contra incêndio e mais quatro coberturas acessórias com pagamento parcelado. A variação do preço está na quantidade de coberturas que você escolher, no valor da casa e no risco potencial. Por isso é sempre bom consultar um corretor de confiança que irá indicar o seguro que lhe ofereça a melhor relação custo x benefício.

Fonte: IG Casa
24 Nov/15

Carta verde é um seguro obrigatório para automóveis em trânsito interpaís dentro da região do Mercosul. Este seguro cobre danos pessoais e materiais causados a terceiros.

Trata-se de, além de uma condição obrigatória, uma proteção muito importante, vista a dor de cabeça que um acidente, seja pequeno ou grande, pode causar em uma viagem.

A carta verde garante a indenização do segurado das quantias a serem pagas à vítima, sendo que a obrigatoriedade deste seguro prevê uma cobertura mínima para danos pessoais e materiais.

O seguro pode ser contratado apenas para o período da viagem e a indenização é paga em modela local (no país da ocorrência).

Portanto, para quem quer cruzar as fronteiras dos nossos países vizinhos, é altamente recomendável que já tenham a carta verde para os dias e

stipulados na viagem (e até uns três dias antes e depois) a fim de garantir o bom andamento do planejamento. Se o viajante deixar para resolver isso na fronteira ou no país destino terá muito mais trabalho.

Os riscos que o viajante corre ao andar de carro nestes países sem sua carta verde:

1) Ser parado em uma blitz ou na fronteira: neste caso, paga-se multa e há a obrigatoriedade do seguro, que só passa a valer após o devido pagamento. Portanto, esta situação acarreta muita perda de tempo;

2) Causar danos materiais e/ou pessoais a terceiros e ao próprio veículo: no caso de sinistro fora do país, a dor de cabeça é ainda maior caso o condutor não possua seguro.

A parte boa é que este seguro é baratinho e pode ser contratado sem muita burocracia. Mesmo assim, recomendamos que o viajante já garanta o seu, pelos menos, um mês antes da viajem. Deste modo, ele garante que tudo estará certinho na hora de partir.

Fale com um corretor da Sustentare Seguros e vá viajar tranquilo!

18 Nov/15

SEGURO DE VIDA: UM ALIADO PARA VOCÊ E SUA FAMÍLIA

No Brasil, onde não temos uma cultura de planejamento futuro, o seguro de vida ainda tem uma adesão baixa entre as pessoas. Porém, ele é muito importante para a segurança familiar.

Trata-se de um contrato realizado com uma seguradora para indenizar os familiares (beneficiários) no caso de morte ou invalidez do provedor financeiro (um pai ou mãe que sustentam sua família com sua renda, por exemplo).

A principal cobertura deste seguro é a indenização por morte, mas também há a possibilidade de cobertura caso o segurado continue com vida dentro do período estipulado na apólice, tendo então o seguro, um caráter previdenciário, ou seja, dando a possibilidade de resgate dos valores pagos (de uma vez ou mensalmente).

Há também a possibilidade de combinar vários seguros dentro do que chamamos de coberturas para pessoas. Deste modo, o segurado e sua família podem contar com seguros educacionais, indenizações em casos de perda de renda, seguro viagem, auxílio funeral entre outros.

Veja os casos mais indicados para se ter um seguro de vida:

1)      Você quer proteger seus dependentes no caso de dificuldades financeiras:

Pessoas casadas e/ou com filhos pequenos desejam garantir que seus dependentes tenham segurança financeira mesmo em momentos de dificuldades ou na ocorrência de uma fatalidade. Mesmo quem possui irmãos, pais, parentes e outros tipos de dependentes podem valer-se da segurança de um seguro de vida para protegê-los.

2)      Você quer garantir que sua família tenha apoio nos momentos mais difíceis (perda de entes queridos):

Famílias que não possuem condições de reunir recursos para realizar o funeral de seus entes queridos devem considerar a contratação de um seguro de vida ou um simples auxílio funeral, pois, nestas horas difíceis é quando mais precisamos de apoio. Mesmo no caso das famílias que possuem esta possibilidade, a contratação de um seguro deste tipo é uma maneira de proteger seu equilíbrio financeiro.

3)      Você quer proteger seu patrimônio mesmo no caso de invalidez ou doença:

O seguro de vida também pode proteger o equilíbrio financeiro do segurado, uma vez que o mesmo está sujeito à invalidez por doença ou acidente e outras dificuldades temporárias ou permanente. Sendo assim, a pessoa que possui uma cobertura destas garante a integridade do que fora conquistado e conta com a indenização no momento em que precisar.

 

Uma história real sobre a importância do seguro de vida

Veja agora a história de Karina, que descobriu que tinha direito à indenização de um seguro de vida de seu pai no momento em que ela mais precisou (por Icatu Seguros):

http://www.icatuseguros.com.br/Portal/main.asp?View=%7B50F2DA44-8DEF-48E0-8431-E503442625EA%7D&Team=&params=itemID=%7B7D644743-BDCF-4BB4-A2D2-93054106F158%7D;LumisAdmin=1;&UIPartUID=%7B23F53329-C081-430F-8109-7C07F4177C9C%7D&utm_campaign=1271139&utm_content=6921544268

 

Conte com a Sustentare Seguros e nossos corretores para saber mais sobre as opções de seguro de vida e vislumbre um futuro mais tranquilo!

16 Nov/15

Seguro é aquela coisa que você compra para não usar. Portanto, você reluta. É muito mais gostoso gastar dinheiro com algo que você vai usar, consumir, degustar, aproveitar, certo?

Mas, na hora do sinistro: “graças a Deus, que eu tenho seguro!”. Esta seria uma frase dita até por ateus.

No Brasil, a cultura de seguros ainda está em ascensão. Talvez isso se deva ao fato de o brasileiro ter uma cultura mais imediatista e dificuldades em pensar no futuro (e nos riscos). Por isso, prefere comprar algo parcelado em vez de juntar o dinheiro e talvez conseguir melhores negociações.

No Japão, por exemplo, o hábito de comprar seguros é bem mais disseminado. Veja o que diz João Baptista de Oliveira (J. B. Oliveira), consultor empresarial, durante o evento “Cultura do Seguro”: “no Japão, o seguro é culturalmente reconhecido como importante aliado na preservação da vida e do patrimônio. As crianças participam das campanhas de preservação contra catástrofes promovidas pelas seguradoras desde muito pequenas” (informação: Revista Cobertura).

O resultado dessa tradição, segundo ele, é que nada menos 95% da população japonesa possui algum tipo de seguro. Já no Brasil, o quadro é completamente diferente. Apenas 35% dos brasileiros possuem algum tipo de seguro. São 185 milhões de brasileiros sem seguro de vida, 58 milhões de residências não têm cobertura, bem como 38 milhões de automóveis.

Apesar de o setor de seguros no Brasil ser correspondente a 6% do PIB, ainda somos o 13º país em quantidade de prêmios e apenas o 43º em valor de prêmios per capta. Em geral, os brasileiros que possuem certa organização e renda financeira só pensam em seguro quando têm um carro. Claro que este tipo de proteção é importante dados os riscos, porém há outros seguros importantes e que protegem bens mais valiosos.

É o caso do seguro da casa. Os seguros residenciais atingem um pouco mais de 13% em 2015, segundo estudo feito pela Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) divulgado em setembro. São apenas 13,3% seguradas de 68 milhões de residências no Brasil.

Um dos motivos pode ser a desinformação pois muitos acreditam que o seguro residencial seja mais caro do que o seguro do automóvel. Alem de muito mais barato, uma casa é bem mais valiosa, por isso, se contar a proporção entre o valor pago e o valor da cobertura, este tipo de seguro é até 80% mais barato do que o de automóvel

Uma casa, muitas vezes, é a conquista de uma vida toda para uma família. Mesmo assim, o brasileiro se preocupa menos em protegê-la. É também o caso dos seguros de vida, muito importantes para pessoas que possuem dependentes, por exemplo.

09 Nov/15

Ocorrências inesperadas podem acontecer a qualquer momento em uma viagem. Nestas horas, nada como ter contratado um seguro viagem.

Planejando as férias ou as viagens de fim de ano? Nestas horas, só vêm à mente coisas boas: a água do mar, as diversões em parques, as compras em lugares lindos, a decoração diferente, as culturas a se encontrar…Porém, a vida real apresenta alguns riscos que vão desde pequenas bobagens até ocorrências bem catastróficas.

Não é o caso de se pensar em coisas ruins neste momento, porém, estudar uma maneira de tratar consequências negativas de ocorrências não planejadas é muito importante.

Para garantir uma viagem nota 10, sem dor de cabeça e com o mínimo de impactos negativos advindos de acontecimentos inesperados, nada como um bom seguro viagem. Ele custará cerca de 5% de sua viagem (valor estimado considerando um pacote internacional para os EUA) e poderá te tirar de muita situação apertada.

É o caso, por exemplo, de contrair uma incômoda infecção intestinal enquanto está visitando um país estrangeiro. A quem recorrer em um momento como este? Com um seguro viagem você e sua família terão toda a assistência e atendimento para problemas assim e outros!

Conheça mais! https://sustentareseguros.com.br/index.php/seguros/viagem

Veja as dicas desta matéria da Globo.com para contratar seguro viagem.

http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2013/05/veja-sete-dicas-para-contratar-um-seguro-de-viagem.html

A Sustentare Seguros está sempre à sua disposição para tirar dúvidas sobre diversos tipos de cobertura. É só entrar em contato!

22 Out/15

Temos visto o aumento no número de desempregados no país. Em um cenário como este, o seguro que garante uma indenização no caso de perda de renda (uma situação de desemprego, por exemplo), garante o bem-estar financeiro da família até que a mesma organize-se novamente.

Saiba mais nesta matéria da Globo.com:

http://oglobo.globo.com/economia/seguro-contra-perda-de-renda-procao-em-tempos-de-crise-17058699

20 Out/15

Em países como EUA e Canadá, o seguro-educacional é um produto muito difundido. No Brasil, trata-se de uma modalidade relativamente recente, porém, que deve ter a devida atenção de pais e escolas, ainda mais nestes períodos de economia turbulenta.

O seguro educacional pode ser contratado pela própria escola e oferecido aos pais como um benefício ou pelos próprios pais. Esta cobertura garante a quitação das mensalidades em casos de morte, acidente, invalidez e também em situações de perda do emprego ou renda.

Veja mais detalhes nesta matéria do UOL.

http://mulher.uol.com.br/gravidez-e-filhos/noticias/redacao/2015/06/11/conheca-o-seguro-educacional-modalidade-pode-ser-util-em-tempo-de-crise.htm

16 Out/15

 

Viagens sempre são carregadas de expectativas. Se você vai viajar a negócios, a perspectiva é cumprir sua missão profissional, seja ela executar um serviço, fechar um acordo ou prospectar clientes. Tudo isso sem que nada atrapalhe e tire-o do foco.

Já no caso de viagens a passeio como férias, feriados, visitas a familiares ou a tão planejada lua-de-mel, a vontade é descansar e curtir.

Seja lá qual for o objetivo, a verdade é que toda viagem tem lá seus riscos. Afinal, há muitos fatores envolvidos: o transporte, as condições do local, o fato de estar em um local desconhecido, eventuais correrias etc.

Para dirimir estes riscos e viajar mais tranquilo, o seguro-viagem é a solução. Veja por quê.

Considerações sobre o seguro-viagem:

1)      O seguro-viagem é obrigatório em alguns países: há muitos países que só permitem a entrada de turistas que possuam um seguro e, em alguns locais, há a exigência de cobertura mínima;

2)      É barato: há vários tipos de seguro-viagem e o contratante deve observar bem as diferenças entre eles. Há produtos muito baratos no mercado, porém, desconfie! Um bom seguro não é medido pelo preço. Converse com o corretor antes de contratar e tire suas dúvidas;

3)      O seguro-viagem representa uma proteção financeira: mesmo que o país de destino de sua viagem não tenha esta obrigatoriedade, lembre-se de que o seguro representa uma proteção para suas finanças. São inúmeras as situações pelas quais um turista pode passar e, ter um seguro nestas horas, certamente é algo que ajudará muito a poupar dinheiro com gastos não previstos.

Claro que ninguém gosta de viajar pensando nas piores coisas que podem acontecer. O importante é ter em mente que, mesmo situações menos graves como pequenos furtos ou extravio de bagagens já trazem dor de cabeça.

Acidentes pouco graves como quedas, pequenas fraturas ou infecção alimentar, por exemplo, são mais comuns do que imaginamos e podem requerer muitos gastos extras dependendo da situação e do país onde o turista se encontra.

Outras situações, mais raras, porém possíveis, como acidentes graves ou mortes, também têm seus impactos financeiros amenizados quando falamos em viagens seguradas.

Por isso, a importância de se planejar bem a viagem e incluir um seguro para cobertura deste tipo de despesa, caso necessário. O que vale é viajar tranquilo e curtir cada momento, sem preocupação.

O que um seguro-viagem cobre?

Esta cobertura serve para garantir a devolução dos seus gastos caso ocorra algum infortúnio que o impeça de viajar na hora H, até casos de morte acidental.

Veja as coberturas deste seguro:

  • Interrupção de viagem: reembolso das despesas decorrentes da interrupção de viagem no caso de doença, acidente ou falecimento de membro de sua família;
  • Extravio de bagagem: indenização em caso de extravio, roubo, furto simples ou destruição da bagagem durante a viagem segurada;
  • Cancelamento de viagem: reembolso das despesas decorrentes do cancelamento da viagem, caso o segurado seja impedido de iniciar a viagem devido a doença, acidente ou falecimento do próprio segurado ou membros de sua família;
  • Invalidez total ou permanente por acidente: no caso de acidente que resulte em invalidez permanente total ou parcial, o segurado recebe indenização proporcional ao grau de invalidez constatado, de acordo com o valor do seguro contratado;
  • Morte acidental: pagamento de 100% do capital contratado aos beneficiários do seguro, em caso de falecimento do segurado decorrente exclusivamente de acidente coberto.

A contratação deste seguro pela Sustentare Seguros é simples, rápida e pode ser paga pelo cartão de crédito.

Desejamos a todos, ótimas viagens e experiências!

05 Out/15

Consultar regularmente um dentista é um dos segredos para manter a saúde bucal em dia e ter um sorriso incrível. E que tal realizar consultas e tratamentos odontológicos junto a profissionais de qualidade e ainda pagar um preço justo por isso? Isso é possível ao investir num plano odontológico em Porto Alegre! Com um plano odontológico, o segurado tem acesso à vasta rede de credenciados, que é composta por clínicas e profissionais experientes, altamente qualificados e especializados.

Disponibilizamos varias opções de planos, com níveis diferenciados de coberturas, podendo optar por planos básicos com procedimentos mais simples, e coberturas mais amplas garantindo procedimentos mais complexos. Com eles o segurado pode escolher livremente um dentista dentro de uma ampla rede referenciada a nível nacional, e se optar por um profissional que não pertença à rede referenciada, o segurado pode solicitar o reembolso de acordo com o plano contratado.

Entre em contato, nossos consultores terão prazer em lhe apresentar uma proposta, e esclarecer suas dúvidas.

28 Set/15

SEGURO EMPRESARIAL destina-se a reembolsar os prejuízos decorrentes das garantias contratadas a lojas, escritórios, consultórios, indústria e comércios em geral, que pode ser contratado tanto por pessoa jurídica como por pessoa física. Também conhecido como multirisco, aglomera uma grande variedade de coberturas num único seguro, permitindo ampla garantia a empresas, indústrias e condomínios.

Contratação:

Existe a obrigatoriedade da contratação das garantias básicas (incêndio, queda de raio e explosão dequalquer natureza) e pelo menos uma garantia opcional, que pode ser escolhida de acordo com a sua necessidade e/ou atividade. As garantias opcionais podem ser escolhida livremente, bem como os valores a segurar.

26 Ago/15

Você já parou para pensar na melhor proteção para você e sua família? Com certeza sabe o quanto é importante proteger quem você ama. O seguro de vida é uma eficiente e econômica forma de garantir um futuro seguro, pois você pode personalizar as coberturas conforme suas necessidades, incluir coberturas para o cônjuge e ainda contar com serviços de assistência funeral para o segurado ou para toda sua família. Aproveitar os bons momentos ao lado de quem é especial para você é uma das melhores coisas da vida. Para isso, ter um seguro de vida ou acidentes pessoais é essencial.

Trabalhamos com as melhores seguradoras do mercado e buscamos a melhor opção do produto para você! 

 

21 Ago/15

O projeto foi desenvolvido por corretores com mais de 20 anos de atuação no mercado de seguros. Visando atender as necessidades diárias de uma corretora de seguros, sabendo que um grande deficit de corretoras tradicionais são operações administrativas que demandam de tempo e acabam, sem perceber, retirando o foco principal para o crescimento de nossos negócios. Trabalhamos focados em operações administrativas e financeiras disponibilizando facilidades como ferramentas operacionais de alta tecnologia, sistema de apoio comercial qualificado, acesso a condições comerciais diferenciadas e um grande portfólio de produtos.

O projeto Sócio Parceiro é o precursor do crescimento da Sustentare Seguros. Com ele conquistamos mercado, atuação territorial, e  cada vez mais facilidades que ficam a disposição de todos os Sócios. No primeiro semestre de 2015 alcançamos o numero de 55 filiais distribuídas por cinco estado da nação. São mais de 30.000 segurados atendidos em todos os tipos de seguros. Trabalhamos com expertise em nosso portfólio e nele contemos produtos exclusivos e diferenciados.

Conheça nosso projeto e entre em contato com nosso departamento de expansão. Será um Prazer recebe-lo em nossa organização.

17 Abr/15

Esta modalidade apresenta várias vantagens em relação aos seguros convencionais, como:

• Redução das taxas em relação aos chamados seguros convencionais;

• Conjugação de várias coberturas em uma só apólice, com cláusulas menos restritivas e de mais fácil compreensão pelos segurados; e

• Estruturação modular com uma ampla gama de coberturas e garantias acessórias, permitindo ao segurado a escolha, entre elas, das mais adequadas às suas necessidades, o que resulta na montagem de um seguro “personalizado”.

Nos seguros compreensivos, os riscos previstos e descritos em cada uma das coberturas contratadas são garantidos ou cobertos na apólice.

O risco pode ser definido como o acontecimento possível, futuro e incerto, independentemente da vontade das partes contratantes. A concretização do risco provoca prejuízos financeiros.

Fonte: Tudo sobre Seguros

02 Abr/15

Como na maioria das situações, a preparação adequada costuma evitar surpresas desagradáveis durante a viagem. Confira uma lista de itens que você deve checar antes de pegar a estrada, mesmo se seu carro for novo:

Bagagem

Pense duas vezes ao montar sua bagagem. Quanto mais peso dentro do carro, mais combustível será gasto e mais força no freio terá que ser empregada no caso de uma parada mais brusca. Evite carregar objetos soltos no interior do veículo. Em um acidente, eles podem machucar os ocupantes.

 

Documentos

Verifique se sua carteira de motorista e o documento do veículo estão dentro da validade. Conduzir sem a documentação necessária é infração leve, gera retenção do veículo até a apresentação dos documentos, multa de R$ 53,20 e 3 pontos na carteira. Tenha em mãos o telefone para acionamento do serviço de assistência 24h (guincho, socorro mecânico, etc) de seu seguro auto em caso de emergência;

Velocidade

Não queira bancar o campeão das pistas. Pilotos correm em circuitos e não em rodovias ou vias públicas. Respeite os limites e seja responsável. Se estiver com pressa, saia mais cedo de casa e só ultrapasse com segurança. De acordo com as estatísticas do DPVAT, o Brasil é o campeão mundial em acidentes de trânsito. Prudência é item básico de segurança.

Celular

Esqueça seu celular enquanto estiver ao volante. Caso precise atender a uma ligação ou utilizar o GPS e outros aplicativos de localização, passe o aparelho à pessoa ao seu lado. Se estiver sozinho, evite atender ou pare no acostamento ou num local mais adequado.

Pneus

Verifique se os cinco pneus estão em boas condições. Uma boa maneira de verificar se está na hora de trocá-los é usando uma moeda de R$ 1. Coloque entre os sulcos, na parte mais central da banda de rodagem. Se a parte dourada estiver quase toda aparente, está na hora de comprar pneus novos. Não esqueça: estepe também é pneu e precisa ser checado e calibrado!

Uma dica importante: ao contrário do que muitos pensam, os pneus menos desgastados devem estar no eixo traseiro, já que ele é o responsável pela estabilidade do carro. Além do que, se um pneu dianteiro estourar, o motorista tem o volante para controlar o automóvel.

Triângulo, macaco e chave de roda

Checar se está tudo no lugar nem sempre é suficiente. Antes de começar a viagem, teste se todos os itens estão funcionando da maneira como deveria.

Alinhamento e balanceamento

Os motoristas costumam dar menos importância do que deveriam a esta dupla. Uma roda desbalanceada faz com que o volante vibre à medida que a velocidade aumenta. A suspensão desalinhada resulta na direção puxando para um dos lados.

Suspensão

Pancadas secas e rangidos são indicativos de problemas na suspensão.

Parte elétrica

Cheque se faróis, lanternas e piscas estão funcionando adequadamente. Trocar uma lâmpada queimada é rápido e pode prevenir acidentes. Veja também se os limpadores de para-brisas estão funcionando adequadamente, se as paletas não estão ressecadas e aproveite para encher o reservatório de água.

Fluidos

É fundamental observar se todos os fluidos do automóvel estão no nível e em condições adequadas. Principalmente porque a estrada costuma exigir mais do motor do que os trajetos do dia a dia. Por isso, escolha uma oficina e lembre de chegar o óleo do motor e da transmissão, os fluidos de freio, de direção hidráulica e embreagem, o líquido de arrefecimento, e no caso de carros flex, o nível do combustível do reservatório de partida a frio.

Extintor de incêndio

As pessoas só costumam entender a importância do extintor quando realmente precisam dele. Acredite, é fundamental. Vale lembrar que com a chegada do mês de julho, o motorista que for flagrado sem a versão ABC será multado com cinco pontos na carteira e R$ 127,69.

Percurso

Seja qual for o destino, defina o percurso com antecedência. Não conhece a estrada? A tecnologia te dá uma força. Se não tiver um GPS disponível, não faltam aplicativos para celular que substituem o aparelho. Uma boa dica é lembrar de definir o trajeto antes de pegar a estrada. Com ele pré-definido, o GPS continua funcionando mesmo nos trechos em que sua operadora deixá-lo na mão.

Fonte: Diário de Pernambuco